Closed Circuit Rebreather Mixed Gas

naui_jornada_rebreather_prism II_bonaire_

Rebreather de Circuito Fechado com Mistura de Gases (CCRMG)

Visão Geral e Qualificações

Este curso visa proporcionar ao mergulhador a formação e a experiência necessária para entender os perigos e minimizar os riscos de usar um rebreather com misturas respiratórias de gases baseadas em hélio ou Trimix em mergulhos com PO2 constante onde se requer descompressão.

Após a conclusão bem sucedida deste curso, o graduado em CCR com Mistura de Gases é considerado competente para planejar e executar mergulhos técnicos com PO2 constante em CCR, que requerem descompressão, e utilizam misturas respiratórias baseadas em hélio ou Trimix sem supervisão direta em profundidades até 61 (sessenta e um) msw / 200 (duzentos) fsw em atividades e áreas de mergulho que se aproximem daquelas dos treinamentos.

Quem pode Ensinar

  • Qualquer Instrutor NAUI com estado ativo que seja:
    • Certificado como um Mergulhador de Rebreather de Circuito Fechado com Mistura de Gases (CCRMG) NAUI ou equivalente, e
    • Possui 200 (duzentas) horas registradas em mergulhos com rebreather de Circuito Fechado baseados em hélio, e
    • Possui um mínimo de 50 (cinquenta) horas de mergulhos registrados com sistemas CCRMG na unidade que está sendo ministrado o curso, e
    • Concluído o processo de aplicação de Instrutor de rebreather de Circuito Fechado para Mistura de Gases NAUI e recebido do Departamento de Treinamento NAUI a designação de Instrutor Técnico para ministrar este curso.

PRÉ-REQUISITOS

  • Idade. Mínimo de 18 (dezoito) anos para a parte prática na água.
  • Certificação / Experiência / Conhecimento.
    • Certificado como um Mergulhador de Técnicas Descompressivas NAUI ou equivalente.
    • Mergulhador de Rebreather de Circuito Fechado NAUI ou equivalente.
    • Comprovar, pelo menos, 100 (cem) mergulhos registrados em Rebreather de Circuito Fechado, sendo 60 (sessenta) horas na unidade específica do treinamento de mistura de gases.
    • O instrutor deve assegurar o conhecimento e a capacidade adequada dos alunos antes de qualquer treinamento em águas abertas e deve usar a verificação de habilidades ou outro tipo de avaliação para fazê-lo. Um mergulho em águas abertas (que não conta para o número mínimo de mergulhos necessários para o curso) pode ser utilizado como uma verificação de habilidade prática e ser aprovado na prova escrita do curso de mergulho autônomo NAUI. Isto não é necessário quando as habilidades de mergulho do aluno são bem conhecidas do instrutor.
  • Aprovação Médica. A verificação da aptidão para mergulhar documentada por um exame médico, incluindo radiografia de tórax e incondicional aprovação para o mergulho por um médico licenciado (MD ou DO com formação hiperbárica) nos 12 (doze) meses anteriores.

Regras

  • Proporções.
    • Um máximo de 4 (quatro) alunos por instrutor NAUI em estado ativo é permitido em águas abertas em condições ideais.
    • O uso de assistentes (Líderes de Suporte Técnico NAUI) com experiência específica em mergulho CCR é recomendado fortemente, mas não aumenta a razão alunos por instrutor.
  • Horas Acadêmicas Estimadas. 18 (dezoito) horas.
  • Aplicação Prática.
    • NÚMERO MÍNIMO DE MERGULHOS.
      • O número mínimo de mergulhos em águas abertas é 8 (oito), com um tempo de mergulho acumulado de, pelo menos, 10 (dez) horas.
      • Nenhum mergulho deve exceder 30 (trinta) msw / 100 (cem) fsw até que o aluno tenha demonstrado satisfatoriamente a configuração e controle do equipamento durante os mergulhos de reconhecimento em águas abertas.
      • Nenhum mergulho deve exceder 61 (sessenta e um) msw / 200 fsw.
      • Dois mergulhos devem ser executados em profundidades maiores do que 30 (trinta) msw / 100 (cem) fsw sem exceder 46 (quarenta e seis) msw / 150 (cento e cinquenta) fsw.
      • Dois mergulhos devem ser executados em profundidades maiores do que 46 (quarenta e seis) msw / 150 (cento e cinquenta) fsw sem exceder 61 (sessenta e um) msw / 200 fsw.
    • Equipamentos. Os equipamentos a seguir são necessários para cada aluno além aos requisitados nas “Regras Aplicáveis ​​a Todos os Cursos de Treinamento de Mergulho Técnico”.
      • Rebreather de Circuito Fechado específico para o curso.
      • Cilindros de contingência suficientes e reguladores devidamente limpos e rotulados como necessário para a respiração de misturas de gases com manômetro separado para circuito aberto, volume adequado para os mergulhos planejados e para todas as taxas de respiração de consumo de gás dos alunos. Regulador(es) primário são obrigatórios em todos os cilindros de contingência com um regulador segundo estágio de baixa pressão que poderia ser considerado como primário e roteado adequadamente permitindo sua pronta utilização em um compartilhamento de ar de emergência.
      • Dispositivos redundantes de marcação de profundidade e tempo.
      • Computadores de mergulho são permitidos para uso como dispositivo de medição de profundidade e tempo. Computadores baseados na PO2 do hélio e PO2 do EANx devem ser usados para planejamento caso tenha tecnologia para tal.
      • Tabelas a prova d’água para circuito aberto para contingência com tabelas primárias de circuito fechado.
      • Jon lines e outros tipos de cabos em carretéis de acordo com as condições do local de mergulho.
      • Duas carretilhas com cabo para subida e marcadores de superfície adequados para a profundidade máxima planejada, e cabos pessoais adicionais, caso necessário.
      • Lanternas subaquáticas redundantes se necessário para as condições do local.
      • Cilindro para inflagem da roupa (obrigatório para mergulhadores utilizando roupa seca) com volume do cilindro apropriado para o mergulho planejado e necessidade de inflagem da roupa.

Requisitos – Acadêmicos

(Remediação de conhecimento do assunto específico, conforme necessário)

  • Ciências Aplicadas. Esta é uma revisão e continuação do material coberto no Manual do Mergulhador Técnico NAUI. Incluem-se física, fisiologia e aspectos médicos aplicados ao mergulho com descompressão planejada, com especial ênfase nos mecanismos de formação de bolhas, as vantagens do ar enriquecido por oxigênio como misturas para descompressão, a toxicidade de oxigênio (corpo inteiro e Toxicidade do SNC, OTUs[1] / UPTDs[2]), hipóxia, narcose por nitrogênio, a tensão gás inerte nos tecidos, tensão do gás inerte inspirado, “paradas de segurança” em comparação com paradas de descompressão obrigatórias, as taxas de subida / descida, toxicidade do dióxido de carbono, contra difusão isobárica, DCI[3] baseada em hélio, síndrome nervosa de alta pressão (HPNS)[4], sintomas do evento vestibular DCI, hipertermia, hipotermia, a dinâmica da perda de calor considerando a presença do hélio na mistura respiratória, vantagens e desvantagens de heliox, hydrox, hydrolox, trimix, mistura de viagem vs mistura de fundo, gerenciamento de tempo de mergulho, considerações psicológicas, carga de tarefas, estresse, estreitamento da percepção e pânico. Também deve ser coberta a necessidade de pausas de ar de 5 (cinco) minutos a cada 20 (vinte) minutos durante a descompressão com oxigênio e o fenômeno OFF[5] quando se utiliza alta pressão parcial de oxigênio.
  • Equipamento de Mergulho. Esta área fornece ao mergulhador o conhecimento necessário para a seleção e configuração de equipamentos para mergulho com mistura de gases CCR. Estão incluídas informações sobre as válvulas de gás para uso externo do CCR, reguladores, arreios / compensador de flutuabilidade, computadores de mergulho / medidores de profundidade / medidos do tempo de fundo, ascensão e cabos em carretilhas para navegação, marcadores de superfície para descompressão à deriva ou descompressão, preparando equipamento de descompressão fornecido pela superfície, Jon Line e mosquetões, lastro apropriado e controle de flutuabilidade durante mergulho e paradas de descompressão por estágios, comparação de tabelas de mergulho e computadores, introdução e revisão das diferentes tabelas para circuito fechado e circuito aberto para descompressão (DCIEM, tabelas baseadas em RGBM, Marinha dos EUA, Bühlmann, etc.), montagem de cilindros de resgate, uso correto de computadores eletrônicos de mergulho multinível para planejamento do mergulho e descompressão.
  • Planejamento de Mergulho com Mistura de Gases CCR. Esta área fornece ao mergulhador o conhecimento necessário para planejar e executar com segurança mergulhos CCR com mistura de gases. Estão incluídas informações sobre operações padrão, ou seja, as necessidades e exigências de gases de resgate, limitações de toxicidade do oxigênio, limitações da narcose por nitrogênio, tensão do hélio no tecido e tensão do hélio inspirado; planejamento de emergência, incluindo descompressão omitida, toxicidade do oxigênio, doença descompressiva e falha de equipamentos. Além disso, os seguintes procedimentos devem ser abordados: utilização de PO2 constante, gás de descompressão, operações normais, falha no planejamento, procedimentos de emergência para contingências por falha ou inadequação de procedimentos, analisar e registrar todos os gases respiratórios, salvaguardas para evitar o uso indevido de reguladores de suprimento de gás de descompressão, elaboração e implantação de equipamentos de descompressão de emergência, vários métodos de entrada, uso de cabos de descida ou outras decisões de técnicas de descida, reconhecer os sinais e sintomas da narcose do gás inerte, reconhecendo as variações do padrão respiratório, opções de configuração do equipamento transportado pelo mergulhador, técnicas de velocidade variável de subida e na aplicação de modelos de paradas fundas e teoria, posicionamento do mergulhador, lastro e compensação de flutuação; métodos e descompressão em cabo fixo ou à deriva, jon line, carretilhas e marcadores de superfície, barras para descompressão e plataformas, descompressão livre com stage à deriva ou estação de descompressão embarcada, comparação entre descompressão com os gases carregados pelo mergulhador versus a descompressão através de gases supridos pela superfície ; equipe de apoio de mergulho embarcada ou na costa, além de planos de contingência, locais de câmara, procedimentos de evacuação, comunicações e gases respiratórios de emergência.

Requisitos – Habilidades

  • Os alunos devem analisar a sua própria mistura de gás de respiração e planejar e executar com segurança cada mergulho.
  • O Planejamento de Mergulho deve incluir limites com base no consumo de gás de cilindros de contingência, exposições de oxigênio, e carga de gás inerte para cada fase da mistura de gás de mergulho e de respiração.
  • Cada mergulhador deve demonstrar todas as habilidades enumeradas na lista de verificação de competências NAUI CCR, primeiramente em águas confinadas, e após a prática adequada, a uma profundidade entre 10 (dez) e 20 (vinte) msw / 33 (trinta e três) e 66 (sessenta e seis) fsw.
  • Cada aluno deve demonstrar o controle da operação manual mantendo a PO2 constante por 15 (quinze) minutos enquanto o instrutor monitora o medidos de PO2.
  • Cada aluno deve demonstrar uma navegação subaquática apropriada ao plano de mergulho.
  • Os alunos deverão participar de uma simulação de resgate de mergulhador considerando um caso de mergulhador com toxicidade de oxigênio.
  • Em pelo menos 2 (dois) dos mergulhos exigidos o mergulhador deve subir com carretilha e marcador de superfície e realizar uma descompressão simulada.

Requisitos – Avaliações

Ver “Regras que se Aplicam a Todos os Cursos Certificatórios da NAUI: Avaliação e Documentação”.

[1] Oxygen Tolerance Units

[2] Unit Pulmonary Toxicity Dose

[3] Decompression Ilness

[4] Síndrome relacionada à pressão atmosférica elevada e caracterizada por tremores, náuseas, tontura, desenvolvimentos mental e motor diminuídos e ATAQUES. Esta afecção pode ocorrer em indivíduos que mergulham profundamente (c. 1000 pés), normalmente quando estes respiram uma mistura de oxigênio e hélio. A doença está associada com um efeito neuroexcitatório do hélio.

[5] off-effect, perigo associado com a toxicidade do oxigênio CNS, podem ocorrer vários minutos após o mergulhador eliminar gás ou experimenta uma redução da pressão parcial de oxigênio. Manifesta-se pelo aparecimento ou agravamento de sintomas de toxicidade do oxigênio no SNC